Imunodeficiência Primária

A Imunodeficiência primária (IDP) é um grupo de quase 300 doenças raras em que parte do sistema imunológico inexiste ou não está funcionando adequadamente.1,2 As pessoas com IDP podem ser mais suscetíveis a doenças infecciosas recorrentes3, como sinusite, bronquite, pneumonia ou infecções gastrointestinais,4 e podem demorar mais tempo a se recuperar. Na maioria das vezes, as infecções são tratadas com antibióticos, mas sem tratar as causas, que não são claras, deixando os pacientes vulneráveis a danos permanentes dos órgãos, deficiência física ou mesmo aumento do risco de mortalidade.5,6

Em média, leva-se 12 anos desde o início dos sintomas até o diagnóstico de Imunodeficiência Primária.7 Isto significa que muitas pessoas com IDP ficam doentes por mais de uma década,afetando potencialmente sua vida e seu convívio social. Embora cerca de 6 milhões de pessoas em todo o mundo vivam com IDP8, estima-se que 70 a 90% dos casos em todo o mundo não sejam diagnosticados.9 Os esforços para conscientizar os médicos dos sinais de alerta de Imunodeficiência Primária é uma iniciativa que tem sido realizada para aumentar o número de pacientes com o diagnóstico correto.10 Além disso, iniciativas como triagem de recém-nascidos para imunodeficiência combinada severa (IDCS) buscam diminuir o tempo de diagnóstico para esta doença em pacientes pediátricos.11 Com o tratamento adequado, muitas pessoas com IDP podem ter uma vida ativa, gerenciando corretamente sua condição.

Nosso Legado

Orgulhamo-nos da nossa longa história e liderança na inovação e avanços globais em termos de qualidade no atendimento de pessoas que vivem com transtornos de imunodeficiência. Trabalhamos para criar um mundo de novas possibilidades em imunologia que proporcionem uma diferença significativa na vida dos pacientes, cuidadores, provedores de saúde e a comunidade global de saúde.

Por mais de oito décadas, temos trabalhado para desbloquear o potencial do plasma para atender uma série de condições raras e crônicas.12 Nossos pesquisadores foram percursores na abordagem moderna para a produção de tratamentos baseados em plasma para fins terapêuticos na década de 1940, quando descobriram como armazenar plasma em um recipiente a vácuo para uso futuro,12 sendo também pioneiros na técnica de fracionamento de plasma. Hoje, somos líderes reconhecidos em inovação, oferecendo avanços sem precedentes para a indústria farmacêutica, por meio de terapias baseadas em plasma humano para dezenas de milhares de pacientes em mais de 50 países e ajudando a superar as barreiras para o tratamento.13,14 À medida que construímos nosso pipeline inovador, expandimos os tratamentos de derivados de plasma e utilizamos novas plataformas de tecnologia para atender continuamente as necessidades dos pacientes.

Através de inúmeras instalações de coleta de plasma de última geração nos Estados Unidos e na Áustria, lideramos a indústria na coleta de plasma de alta qualidade de doadores voluntários, transformando o plasma em terapias que salvam vidas.

Hoje, como BioLife Plasma, operamos uma das maiores e mais sofisticadas redes de coleta de plasma, produção biológica e fracionamento de plasma.

Por meio de um serviço avançado, mantemos um compromisso inabalável com a segurança de nossos doadores e dos pacientes que recebem derivados de plasma.

Referências

  1. Blaese RM, Bonilla FA, Stiehm ER, Younger ME, eds. Patient & Family Handbook for Primary Immunodeficiency Diseases. 5th ed. Towson, MD: Immune Deficiency Foundation; 2013.
  2. Bousfiha A, Jeddane I, Al-Herz W, et al. The 2015 IUIS phenotypic classification for primary immunodeficiencies. J Clin Immunol. 2015; 35(8): 727-738.
  3. Immune Deficiency Foundation, “About Primary Immunodeficiencies: http://primaryimmune.org/about-primary-immunodeficiencies/. Accessed April 18, 2016.
  4. Immune Deficiency Foundation, “About Primary Immunodeficiencies: Infections.” http://primaryimmune.org/aboutprimary- immunodeficiencies/relevant-info/infections/. Accessed April 18, 2016.
  5. Riedl M, Rumbak M. Clin Pulm Med. 2010;17(2):88-95
  6. Resnick ES, et al. Blood. 2012;119(7):1650-1657.
  7. Immune Deficiency Foundation. Primary immune deficiency diseases in America: 2007. The third national survey of patients. Published May 2009./li>
  8. Bousfiha AA et al. Primary immunodeficiency diseases worldwide: more common than generally thought. J Clin Immunol. 2013 Jan;33(1):1-7.
  9. World PI Week, “World Primary immunodeficiency Week: Let’s talk about PI!” http://www.worldpiweek.org/sites/default/files/basic_page_documents/World PI Week Official PR 2011.pdf. Accessed April 18, 2016.
  10. Jeffrey Modell Foundation, “10 Warning Signs of PI:"http://downloads.info4pi.org/pdfs/jmf_10warning_poster_illustrated_english.pdf. Accessed May 26, 2016.
  11. Immune Deficiency Foundation, "IDF SCID Newborn Screening Campaign" http://primaryimmune.org/idf-advocacycenter/ idf-scid-newborn-screening-campaign/. Accessed July 20, 2016.
  12. Curling J, Goss N, Bertolini J. The history and development of the plasma protein fractionation industry. In: Bertolini J, Goss N, Curling J, eds. Production of Plasma Proteins for Therapeutic Use. Hoboken, NJ: John Wiley & Sons, Inc.; 2013.
  13. Data on file at Baxalta US, Inc. November 2015.
  14. Data on file at Baxalta US, Inc. July 2015.

C-ANPROM/BR//0184 Set/17 V0.3

Notificação de Uso de Cookie

Este site utiliza cookies para lhe fornecer um serviço mais ágil e personalizado. Ao navegar neste site, você concorda com o uso de cookies. Por favor, leia a nossa notificação de cookie para obter mais informações e saber como excluir ou bloquear o uso de cookies. LEIA MAIS